terça-feira, 26 de setembro de 2006

sexta-feira, 1 de setembro de 2006

Ao Serviço

Para início de ano lectivo e depois de uma boas férias - espero - eis a minha recepção de boas vindas...
O acto educativo é o exercício concreto da educação. A confluência da actuação do educador com a reacção do educando, tendo como consequência o acesso deste a um nível de maior perfeição pessoal.
A educação é um processo de aperfeiçoamento no qual se trata de fazer com que um sujeito aceda a níveis superiores na sua existência. O parâmetro do processo é a meta para que aponta o processo, são os fins da educação, os quais, correspondendo a um estado ideal desejado, a alguns valores pretendidos, se especificam em alguns objectivos da educação. É preciso conhecer exactamente o sujeito educando: a sua possibilidade e necessidade de ser educado. Esta informação sobre o sujeito - as suas circunstâncias pessoais de tipo psicológico, social e cultural – é também determinante do processo, para que saibamos o que podemos e devemos fazer com ele: os fins educacionais são função não apenas de exigências objectivas – ideais e sociais - , mas também da natureza do sujeito.
O conhecimento do sujeito cabe em boa parte às Ciências da Educação: Psicologia da Educação, Sociologia da Educação…; o conhecimento do Fim proporcionam-no a Filosofia da Educação e a Axiologia Pedagógica, constituindo o problema «essencial» próprio da tecnologia pedagógica. A determinação dos meios educativos é um problema derivado, simples questão de tecnologia: uma vez conhecidos o destino e destinatários do processo, os métodos condutores e operativos estabelecem-se por mera dedução.


Referência bibliográfica

Cabanas, J. M. Q. (2002). Teoria da educação. Concepção antinómica da educação. Porto: ASA Edições.