quinta-feira, 26 de outubro de 2006

Em torno de currículo

1- O Currículo

Currículo provém do termo latino «curriculum» que significa atalho, percurso, desvio, curso.

1.2- Noção de currículo

Currículo, em pedagogia, é entendido de várias formas:
1- Conjunto de disciplinas;
2- Programas das disciplinas;
3- Plano de estudos;
4- Objectivos a atingir;
5- Tudo o que acontece na escola;
6- Curso.
A escola tem uma função social muito grande. O currículo não pode ficar restringido ao cumprimento de um determinado programa decretado pelo Ministério da Educação. Por isso, todas as actividades programadas pela escola, ou na escola, que tragam momentos de aprendizagens para os alunos são benéficas…são currículo! «O currículo é tudo o que acontece na escola»! (Freitas, 2005)[1]
O currículo tem uma base cultural – é sempre uma selecção de um povo, sempre em evolução mas mantendo necessariamente ligações às raízes.

1.3- Definições de currículo
«Conjunto de aprendizagens socialmente necessárias que à escola cabe garantir» (Roldão, 1997).[2]
«Currículo, curso de vida trilhado durante a educação escolar e universitária, seja no interior das instituições de ensino seja fora delas, mas sempre sob sua orientação ou influência. Currículo é, pois, processo de formação, em que, ao aprender conhecimentos significativos produzidos pela humanidade, assim como os meios de a eles se chegar, ao aprender valores e atitudes, vai-se também aprendendo a ser cidadã/ão, fortalecendo a identidade própria» (Silva, 2005).

«Currículo é um conceito passível de múltiplas interpretações no que se refere e quanto aos inúmeros modos e variadas perspectivas acerca da sua construção e desenvolvimento (Apple, 1997; Carrilho Ribeiro, 1990). Mas, se procurarmos defini-lo diacronicamente, no quadro histórico-cultural da relação da escola com a sociedade, então podemos dizer que currículo é – em qualquer circunstâncias o conjunto de aprendizagens que, por se considerarem socialmente necessárias num dado tempo e contexto, cabe à escola garantir e organizar.
O que se considera desejável varia, as necessidades sociais e económicas variam, os valores variam, as ideologias sociais e educativas variam e/ou conflituam num mesmo tempo – e o currículo escolar corporiza, ao longo dos tempos e em cada contexto, essa conflitualidade. Por sua vez, também contribui para, e interage com, essas várias forças, e dá-lhes forma ao instituir em cânones determinadas aprendizagens e práticas.
(…) torna-se claro que os programas nacionais que todos conhecemos, aprendemos e ensinámos, enquadrados no funcionamento uniforme da escola e do sistema que é o nosso, constituem currículo e corporizam uma determinada forma de o gerir, adequada às finalidades de um longo período da história da escolas e dos sistemas.
Esse currículo, concebido como um conjunto de programas nacionais universais - largamente dominante ainda no contexto do sistema português e não só – começa, contudo, claramente, a não dar resposta às necessidades sociais actuais e sobretudo futuras. Por isso estamos a viver a tão falada mudança. (…) O que importa é saber que mudança estamos a atravessar…
(…) A mudança que as nossas sociedades estão actualmente a viver, no plano educacional, enquadra-se numa dinâmica conjuntural… Esta mudança é caracterizada pela pressão social sobre a escola no sentido de, mais uma vez, ajustar/reconstruir o seu currículo e o modo de o gerir, na tentativa, historicamente sempre repetida, de ajustar a adequação da oferta às necessidades».[3]
[1] Aula do dia 30 de Setembro.
[2] ME-DEB (1999, p. 2).
[3] ME-DEB (1999, pp. 24-25).

1.4- A oferta da escola…
O currículo é, por outras palavras, a oferta da escola ou aquilo que ela proporciona oferecer. E é bom que ofereça sempre e muito de acordo com o seu projecto educativo, tendo em conta o meio geográfico, sócio – cultural, económico e político (Pacheco, A., 2005). A escola é antes do mais o lugar das aprendizagens elementares. A tudo isto, acrescenta-se a transmissão de uma cultura que procura simultaneamente ter em conta as várias culturas e ensinar normas e valores comuns a uma determinada sociedade. Contribui para a redução das desigualdades sociais e é o ascensor social das sociedades meritocráticas.
A escola é o melhor lugar logo a seguir à família, por isso, o currículo convém que seja rico e apelativo.

Publicado no blog, Domingo, Outubro 09, 2005

Sem comentários: